sexta-feira, 18 de maio de 2018

Osho Zen Tarot - 38. Arcano Menor ― Aventura (Valete do Arco-íris)


O Zen diz que a verdade não tem nada a ver com autoridade, que a verdade não tem nada a ver com tradição; que a verdade não tem nada a ver com o passado: a verdade é uma realização radical, pessoal. 
Você precisa conquistá-la. 
O conhecimento oficial é coisa segura; a busca do conhecimento pessoal, porém, é muito, muito arriscada. 
Ninguém pode garantir o resultado. 
Se você me perguntar se posso garantir alguma coisa, direi que não posso garantir-lhe nada. 
Só posso garantir o perigo - isso é certo. 
Só posso garantir-lhe uma longa aventura, com todas as possibilidades de dar errado e de nunca se atingir a meta. 
Uma coisa, porém, é certa: a própria busca irá ajudá-lo a crescer.
Só posso garantir-lhe o crescimento. 
O perigo estará lá, o sacrifício estará lá; você estará mergulhando a cada dia no desconhecido, em terreno inexplorado, e não haverá nenhum mapa a seguir, nenhum guia para acompanhar. 
Sim, há milhões de riscos e você poderá desviar-se, poderá perder-se, mas é esta a única maneira de crescer. 
A insegurança é a única senda para o crescimento, enfrentar o perigo é a única forma de crescer, aceitar o desafio do desconhecido é o único caminho para se crescer.
Osho Dang Dang Doko Dang, Cap. 7

Comentário:
Quando estamos realmente com espírito de aventura, andamos exatamente como esta criança. 
Cheios de confiança, vamos, passo a passo, saindo da escuridão da floresta para o clarão da luz, levados pela nossa capacidade de nos maravilharmos, na trilha do desconhecido.
A ideia de aventura realmente não tem nada a ver com planos e mapas, programações e organização. 
O Valete do Arco-Íris representa um estado de espírito que pode tomar conta de nós em qualquer lugar ― em casa ou no escritório, no campo ou na cidade, num empreendimento criativo ou no nosso relacionamento com outras pessoas. 
Sempre que nos lançamos ao novo e desconhecido com o espírito confiante de uma criança, inocentes, abertos e vulneráveis, até mesmo as menores coisas da vida podem transformar-se nas maiores aventuras.





Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 11 de maio de 2018

Osho Zen Tarot - 37. Arcano Menor ― Desaceleração (Cavaleiro do Arco-íris)


A meditação é uma espécie de remédio ― seu uso será apenas passageiro. 
Quando você tiver apreendido a qualidade, não precisará praticar mais nenhuma meditação em particular, pois a atitude meditativa é que deverá permear todos os cantos da sua vida.
Andar é Zen, sentar-se é Zen. 
Qual será então essa qualidade? 
A pessoa passa a andar de maneira vigilante, alerta, alegremente, sem metas a atingir, centrada, com amor, deixando-se fluir. 
E o caminhar é despreocupado. 
A pessoa senta-se com amor, alerta, vigilante, desinteressadamente ― sem estar buscando alguma coisa em especial, mas apenas desfrutando a beleza do sentar-se sem fazer nada, o quanto isso é relaxante, repousante...
Depois de uma longa caminhada, você se senta à sombra de uma árvore, e a brisa vem e o refresca. 
A cada momento é preciso que a pessoa esteja bem consigo mesma ― não empenhada em melhorar, cultivando alguma coisa, praticando alguma coisa. 
Andar é Zen, sentar-se é Zen. 
Falando ou em silêncio, movimentando-se, em repouso, a essência está à vontade. 
A essência está à vontade: esta é a ideia chave. 
A essência está à vontade: esta é a afirmação-chave. 
Faça o que quiser, mas, no âmago mais profundo, permaneça à vontade, frio, calmo, centrado. 
Osho The Sun Rises in the Evening, Cap. 7

Comentário:
O Cavaleiro do Arco-Íris é um lembrete de que, exatamente como a tartaruga desta carta, nós também levamos conosco a nossa casa, aonde quer que vamos. 
Não há necessidade de apressar-se, não é preciso procurar abrigo em nenhum outro lugar. Mesmo quando mergulhamos nas profundezas das águas da emoção, podemos manter-nos abrigados em nós mesmos, imunes a dependências.
Há um momento em que você se prepara para deixar de lado quaisquer expectativas que tem cultivado a seu próprio respeito, ou a respeito de outras pessoas; prepara-se para assumir a responsabilidade por quaisquer ilusões que possa ter estado carregando. 
Nessa hora, não há necessidade de fazer nada, bastando repousar na plenitude de quem você é neste exato momento. 
Se os desejos, esperanças e sonhos estão se tornando vagos, tanto melhor. 
Seu desaparecimento está abrindo espaço para um novo clima de tranquilidade e de aceitação das coisas como são. 
Você irá sentir-se capaz de dar as boasvindas a esse crescimento pessoal, de uma maneira que nunca esteve antes ao seu alcance. 
Desfrute essa sensação de diminuição do ritmo, de se aproximar do repouso, e de reconhecer que você já está em casa.




Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 4 de maio de 2018

Osho Zen Tarot - 36. Arcano Menor ― Florescimento (Rainha do Arco-íris)



O Zen quer vê-lo vivendo, vivendo em abundância, vivendo na completude, vivendo intensamente ― não em grau mínimo, como pretende a Cristandade, mas no grau máximo, transbordante.
A sua vida deveria derramar-se até os outros. 
A sua felicidade, a sua bem-aventurança, o seu êxtase, não deveriam ficar confinados dentro de você, como uma semente. 
Deveriam abrir-se como a flor e espalhar sua fragrância indiscriminadamente ― não apenas para os amigos, mas para os desconhecidos também. 
Isso é compaixão verdadeira, amor verdadeiro: compartilhar a sua iluminação, compartilhar a sua dança do além.
Osho Christianity, the Deadliest Poison and Zen…, Cap. 5

Comentário:
A Rainha do Arco-Íris é como uma planta fantástica que atingiu o ápice do seu florescimento e das suas cores. 
É muito sensual, muito cheia de vida e plena de possibilidades. 
Estalando os dedos ela acompanha a música do amor, e o seu colar do zodíaco está colocado de tal maneira que Vênus repousa sobre o seu coração. 
As mangas da sua vestimenta contêm sementes em abundância, e, à medida que sopra o vento, elas são espalhadas para criar raízes onde lhes for possível. 
Não a preocupa saber se as sementes caem no solo ou sobre as pedras ― ela apenas as vai espalhando por toda parte, em total celebração da vida e do amor. 
Flores caem do alto sobre a sua cabeça, em harmonia com o seu próprio florescimento, e as águas da emoção serpenteiam divertidamente sob a flor em que ela está sentada.
Você poderia sentir-se neste exato momento como um jardim de flores, regado por bênçãos vindas de toda parte. 
Dê boas-vindas às abelhas, convide os pássaros a beber do seu néctar. 
Espalhe em volta a sua alegria, para que todos compartilhem dela.


Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 27 de abril de 2018

Osho Zen Tarot - 35. Arcano Menor ― Abundância (Rei do Arco-íris)


No Oriente, as pessoas condenaram o corpo, condenaram a matéria, chamaram-na de “ilusória”, de maya: coisa que de fato não existe, apenas parece existir; coisa feita da mesma substância dos sonhos. 
As pessoas renegaram o mundo, e esta é a razão pela qual o Oriente permaneceu pobre, doente, faminto. 
Metade da humanidade tem vivido aceitando o mundo interior, mas negando o mundo exterior. 
A outra metade tem aceitado o mundo material, e negado o mundo interior. 
Ambas são metades, e homem nenhum que seja uma metade pode estar satisfeito.
É necessário ser inteiro: rico no corpo, rico em ciência; rico em meditação, rico em consciência.
No meu modo de ver, apenas a pessoa inteira é uma pessoa sagrada. 
Eu quero que se misturem Zorba e Buda. 
Zorba sozinho é vazio. 
Sua dança não tem significação eterna, é prazer momentâneo. 
Logo ele se cansará dela. 
menos que você disponha de fontes inesgotáveis que lhe venham do próprio cosmos... a menos que você se torne existencial, não poderá tornar-se inteiro.
Esta é a minha contribuição para a humanidade: a pessoa inteira.
Osho Communism and Zen Fire, Zen Wind, Cap. 2

Comentário:
Este tipo dionisíaco é o próprio retrato de um homem inteiro, um “Zorba e Buda” que pode beber vinho, dançar na praia, cantar na chuva, e ao mesmo tempo desfrutar as profundezas da compreensão e do conhecimento próprios do sábio. 
Em uma das mãos ele segura uma flor de lótus, demonstrando que respeita e contém em si mesmo a graça do feminino. 
O peito exposto (um coração aberto) e a barriga relaxada mostram que ele está à vontade com a sua masculinidade também, inteiramente pleno de si. 
Os quatro elementos; terra, fogo, água e céu, confluem no Rei do Arco-Íris, que está sentado sobre o livro da sabedoria da vida.
Se você é mulher, o Rei do Arco-Íris traz para a sua vida o apoio de suas energias masculinas, uma união com a alma gêmea interior. 
Para um homem, esta carta representa uma oportunidade para romper com os estereótipos
masculinos convencionais, permitindo que transpareça a plenitude do ser humano integral.



Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 20 de abril de 2018

Osho Zen Tarot - 34. Arcano Menor ― A Mente (Valete das Nuvens)


Esta é a situação da sua cabeça: vejo ali guidões de bicicleta, pedais e coisas estranhas que você foi juntando de toda parte. 
Uma cabeça tão pequena... e sem espaço para se viver nela!
E esse material inútil fica revolvendo-se em sua cabeça; sua cabeça fica girando e tramando ― e isso mantém você ocupado. 
Imagine só que tipos de pensamentos vão passando pela sua mente...
Qualquer dia, simplesmente sente-se, feche os olhos, e coloque no papel, durante meia hora, o que quer que passe pela sua mente. 
Você compreenderá o que estou querendo dizer, e ficará surpreso com o que transita no interior da sua mente. 
Isso tudo vai ficando nos bastidores, fica ali o tempo todo, e acaba envolvendo-o, como uma nuvem. 
Devido a essa nuvem, você não consegue distinguir a realidade, não consegue chegar à percepção espiritual. 
É preciso desfazer-se dela. 
E apenas com a sua decisão de descartá-la é que ela irá desaparecer. 
Você está apegado a ela ― a nuvem mesma não tem o menor interesse em você, lembre-se disso.
Osho The Sun Rises in the Evening, Cap. 9

Comentário:
Isto é o que acontece quando nos esquecemos de que a mente foi feita para servir, e começamos a permitir que ela dirija a nossa vida. 
A cabeça está cheia de mecanismos, a boca não pára de censurar, e toda a atmosfera em
volta fica poluída por essa fábrica de argumentos e de opiniões.
“Mas, espere aí!”, você talvez diga. 
“A mente é o que nos torna humanos, é a fonte de todo progresso, de todas as grandes verdades!” 
Se você acredita nisso, faça uma experiência: entre no seu quarto, feche a porta, ligue um
gravador, e passe a falar sem restrições o que quer que lhe venha “à mente”.
Se de fato você deixar que saia tudo, sem nenhuma censura ou retificação, ficará espantado de ver a quantidade de tolices que você dirá.
O Valete das Nuvens está lhe dizendo que alguém, em algum lugar, está preso em uma “viagem da cabeça”. 
Dê uma olhada, e assegure-se de que não é você.


Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra, exceto os naipes.
Imagens - askthecards.info
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Selos