sexta-feira, 17 de novembro de 2017

Osho Zen Tarot - 12. Arcano Maior ― Nova Visão


Quando você se abre para o supremo, imediatamente ele se derrama dentro de você. 
Você já não é mais um ser humano comum ― você transcendeu. 
Seu insight transformou-se no insight da existência como um todo.
Agora, você não é mais um ser à parte ― você encontrou as suas raízes.
Não sendo assim ― o que é o mais comum ―, as pessoas vão vivendo sem raízes, sem saber de onde o seu coração continua recebendo energia, sem saber quem continua respirando em seu interior, sem conhecer a seiva da vida que está circulando dentro delas.
Não se trata do corpo, e não se trata da mente ― é alguma coisa transcendental a todas as dualidades, que se denomina bhagavat ― o bhagavat nas dez direções...
O seu ser interior, quando se abre, vivencia inicialmente duas direções: a altura e a profundidade. 
Depois, devagarzinho, à medida que vai se acostumando com essa situação, você começa a olhar em volta, estendendose em todas as outras oito direções.
Quando você alcançar o ponto em que a sua altura e a sua profundidade se encontram, então, você poderá olhar em volta, para a própria circunferência do universo. 
A partir desse momento, a sua consciência começará a desdobrar-se em todas as dez direções, mas o caminho terá sido só um. 
Osho Zen: The Diamond Thunderbolt, Cap. 9

Comentário:
A figura desta carta está nascendo de novo, emergindo de suas raízes presas a terra e criando asas para voar em direção ao ilimitado. 
As formas geométricas em volta do seu corpo mostram as muitas dimensões da vida que estão simultaneamente ao seu alcance. 
O quadrado representa a parte física, o que está manifesto, o conhecido. 
O círculo representa o não-manifesto, o espírito, o espaço puro. 
E o triângulo simboliza a natureza trina do universo: o manifesto, o não-manifesto, e o ser humano que contém a ambos. 
Você está tendo agora uma oportunidade para enxergar a vida em todas as suas dimensões, das suas profundezas às alturas. 
Elas existem lado a lado, e, quando descobrimos pela experiência que o escuro e o difícil são tão necessários quanto o claro e o fácil, passamos a ter uma perspectiva muito diferente do mundo. 
Ao deixarmos que todas as cores da vida penetrem em nós, tornamo-nos mais integrados.



Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra.
Imagens - askthecards.info

sexta-feira, 10 de novembro de 2017

Osho Zen Tarot - 11. Arcano Maior ― Ruptura


Converter a derrocada em uma ruptura, eis toda a função de um mestre. 
O psicoterapeuta simplesmente põe remendos. 
Essa é a sua função. 
Ele não está ali para transformá-lo. 
Você precisa de uma metapsicologia ― a psicologia dos budas. 
Sofrer uma derrocada conscientemente é a maior aventura da vida. 
É o maior risco, porque não há nenhuma garantia de que a derrocada se transformará em uma ruptura. 
Ela se transforma, mas essas coisas não podem ser garantidas.  
O caos em que você se encontra é muito antigo ― por muitas, muitas vidas você tem estado no caos. 
Trata-se de um caos espesso e denso. 
É quase um universo em si mesmo. 
Portanto, quando você o desafia com sua capacidade limitada, é claro que há perigo. 
Sem desafiar, porém, esse perigo, ninguém jamais se tornou integrado, ninguém jamais se tornou um indivíduo, indivisível.
O Zen, ou a meditação, é o método que irá ajudá-lo a passar através do caos, pela noite escura da alma, com equilíbrio, disciplinado, alerta. 
O alvorecer não está muito longe, mas antes que lhe seja possível alcançar o nascer do dia, a noite escura precisará ser atravessada. 
À medida que a alvorada for se aproximando, a noite se tornará ainda mais escura. 
Osho Walking in Zen, Sitting in Zen, Cap. 1

Comentário
A predominância do vermelho nesta carta indica, logo à primeira vista, que o seu tema é a energia, o poder e a força. 
A aura brilhante emana do plexo solar ou centro de poder da figura, e a sua postura é de exuberância e determinação.
Todos nós atingimos ocasionalmente um ponto em que “bastante é o bastante”. 
Nesses momentos parece que precisamos fazer alguma coisa, qualquer coisa, ainda que mais tarde essa coisa se revele um engano. 
Precisamos deixar de lado as cargas e restrições que nos estão limitando. 
Se não fazemos isso, elas ameaçam sufocar e neutralizar nossa própria energia vital.
Se neste momento você está sentindo que “bastante é o bastante”, aceite o risco de romper com os velhos padrões e limitações que têm impedido a sua energia de fluir. 
Ao fazê-lo, você ficará surpreso com a vitalidade e com a energia que essa Ruptura trará à sua vida.




Lucia



Este artigo em pdf encontrado na net faz referências ao site osho.com, de onde todos os textos foram extraídos na íntegra.
Imagens - askthecards.info
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

Selos